2 de mai de 2008

Garrafas PET gigantes ocupam margens do rio Tietê

Parado no incontrolável congestionamento da marginal Tietê, o motorista ganhou um curioso lembrete da precária condição ambiental em que a cidade mergulha cada vez mais. Vinte garrafas infláveis gigantes, tipo PET, e iluminadas foram instaladas às margens do rio pelo artista Eduardo Srur, que aborda a questão ambiental na instalação exposta até 25 de maio em uma das vias mais movimentadas da cidade.
As garrafas ficam distribuídas ao longo de cerca de 1,5 km nas margens do rio, entre as pontes do Limão e da Casa Verde. Cada peça mede cerca de 10 m de comprimento por 3 m de diâmetro. Tema recorrente no trabalho de Srur, a instalação pretende abordar justamente a questão da degradação ambiental da cidade em um dos principais marcos da poluição urbana em São Paulo.



Autor da instalação "Bicicletas" em 2007, que pendurou bicicletas suspensas por cabos em prédios da avenida Paulista, Srur já havia ocupado as margens do rio Pinheiros com caiaques para chamar a atenção para a poluição da água e, em dezembro passado, o artista espalhou por São Paulo árvores de Natal construídas com materiais recicláveis.

Além dos espectadores que trafegam pela marginal normalmente, a instalação também poderá ser vista do próprio rio, em excursões de barco promovidas pelo grupo Navega São Paulo.As garrafas de Srur fazem parte da exposição "Quase Líquido", aberta para o público a partir do dia 27 no Itaú Cultural, que reúne 14 artistas que abordam as condições de vida na cidade por meio de 22 obras.

GARRAFAS PET DE EDUARDO SRUR

Quando: até 25/5
Onde: Marginal Tietê, entre as pontes do Limão e Casa Verde
Quanto: grátis








2 comentários:

ligia pin disse...

As bicicletas suspensas nos prédios da Paulista eu vi! Uma pena que na época eu não tinha uma digital pra fotografar, porque era surreal. Lorpa, as fotos das pets eu não consigo ver, não estão abrindo aqui.
Beijos

Andrea Savoia disse...

É que já foram recicladas!!! hahaahah